Menu

A Rádio que toca diversidades

Quintal do Chaos

01 JUL 2018
01 de Julho de 2018

Ideia: Interessados na cena cultural da cidade os meninos decidiram usar seu espaço como forma de incentivo à cultura local, a moda, culinária, música e arte. Aproveitando seu espaço também para deixar a disposição como ponto de encontro para idealizadores de cultura.

Endereço: QI 12 conjunto F casa 84.

Entrada: Gratuita.

Organizadores: Khalil, Gustavo.

Acompanhei mais uma edição desse movimento independente e alternativo que normalmente ocorre no último fim de semana de cada mês. O evento contou com duas bandas de rock formadas com mulheres. É raro presenciar um evento que as bandas apoiem e curtam o show uma das outras e isso foi uma coisa que a cena de ontem trouxe para nós, quando eu falo que temos que fortalecer a cena é uma das coisas que passam na minha cabeça. Tem evento que vamos e a banda só quer saber do show delas e não apoia as outras bandas.

 Em geral o evento deu super certo mesmo com alguns contratempos na questão técnica do som. A line-up do evento dizia que teria comida sendo vendida por Gnomo Lanches, porém, eles não compareceram e nem avisaram o público pelo link do evento, o que deixou algumas pessoas que estavam esperando pelo serviço chateadas.

Ao decorrer pudemos acompanhar a falta de jeito de falar que alguns homens que não estão acostumados com a cena emponderada das mina, mais em contra peso a maioria dos caras curtiram, apoiaram e gritaram “respeita as mina”.

Como se o role já não tivesse maravilhoso, tivemos o prazer de acompanhar uma arte ao vivo do pintor Julimar dos Santos (artista do Guará que ajuda a movimentar a cena de cultura na cidade).

Bandas:

Brutal Mary

Com três integrantes a banda segue o Trash. Quando a gente vê a delicadeza das meninas nem imagina o rock que elas vão soltar. Mas elas são cheias de atitude e super carismáticas e nos deram um show super energizante.

 

Canalhas Sativa

Banda conta com quatro integrantes que trazem a muitos anos a mulherada para a cena punk de Brasília. Quem acha que mulher não pode ter atitude e falar contra o sistema com certeza não teve o prazer de conhecer o trabalho dessas minas.

 

 

Foi um super prazer estar pela Zoom no evento. Como mulher, poder estar ali disposta a mostrar a cena, e mostrar ao público tudo que nós mulheres podemos fazer, desde ser a fotografa/repórter de um role até a baterista, a guitarrista, a vocalista. Mais do que fortalecer a cena de cultura que temos dentro de casa, devemos também fortalecer o que as mulheres são capazes de fazer. Dar apoio, gritar, aplaudir.

 

Laura Machado

Voltar

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.